Casa de reinserção social e moradia assistida

Você já ouviu falar de moradia assistida? Sabe como ela funciona? Compreende quais são os propósitos desse tipo de projeto?

 Vamos explicar tudo sobre o funcionamento de unidades desse tipo e quais suas funções no processo de ressocialização de indivíduos em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

A moradia assistida nada mais é que uma residência de acolhimento institucional. Ela é planejada exclusivamente para atender pessoas com necessidades especiais e individuais por meio de um trabalho personalizado que visa compreender as dificuldades enfrentadas por cada assistido.

Conceito ligado ao terceiro setor, a moradia assistida faz parte de um conjunto de projetos que pretendem promover a reintegração do indivíduo dentro da comunidade.

Neste cenário a função do terceiro setor se desenvolve por meio de serviços de utilidade pública sem fins lucrativos prestados por entidades pertencentes à iniciativa privada.

Em geral, as residências planejadas para esse fim, dão apoio a jovens e adultos durante o processo de desligamento de determinadas instituições de assistência social.

Para isso, essas casas contam com o suporte de uma equipe especializada que todos os dias trabalha em prol do desenvolvimento individual, garantindo que cada pessoa inserida no projeto tenha capacidade de realizar suas tarefas cotidianas com mais autonomia e segurança.

Ao procurar uma moradia assistida, o indivíduo está de fato buscando um lar para se proteger. Os públicos mais atendidos por moradias assistidas, normalmente são compostos por jovens entre 7 e 18 anos, idosos e dependentes químicos, além de moradores de rua que não possuem nenhum tipo de vínculo familiar.

Amor que Comove: um novo sentido para a reintegração social

Com propósito de prestar apoio emocional, espiritual, físico e psicológico, o projeto “Amor que CoMove” atua desde 2011 atendendo pessoas vulneráveis nas ruas de Curitiba. 

Amparada pelos ensinamentos de Jesus Cristo, a Associação Comunitária Presbiteriana trabalha todas as semanas para entregar lanches aos que mais precisam de alimento.

Dessa forma, a entidade enxerga que a assistência é um dos principais caminhos que impulsionam a disseminação do evangelho.

As pessoas que manifestam algum desejo de transformar seus hábitos e eliminar seus vícios, recebem a oportunidade de frequentar um tratamento intensivo de reabilitação praticado por aproximadamente nove meses.

Importância do voluntariado

Preparada para atender dezenas de pessoas em situação vulnerável, as residências do Amor que CoMove contam com total apoio de voluntários capacitados que se disponibilizam a trabalhar de maneira assídua nesse tratamento de reinserção social. Neste sentido, o indivíduo alojado nas unidades tem ao seu alcance todo o tipo de orientação médica, psicológica, jurídica e social, além de poder contar com um trabalho de evangelização e desenvolvimento espiritual.

Integrado majoritariamente por voluntários que se sensibilizam com a causa de ressocialização, o Amor que CoMove atualmente é mantido pela venda de pães produzidos pelos próprios membros do projeto. 

É essencial ressaltar a importância do voluntariado nesse convívio diário com os indivíduos inseridos na fase de intervenção terapêutica. Qualificados para desempenhar as atividades que fazem parte do tratamento, os voluntários do Amor que CoMove conversam, visitam e buscam sempre compreender as necessidades coletivas e particulares de cada pessoa cuidada pela associação.